Terça, 18 de Janeiro de 2022
29°

Muitas nuvens

Campo Grande - MS

Geral Eleições 2022

Marquinhos supera André. Riedel fica em último lugar na disputa do Governo, diz IPR

O levantamento foi realizado com 2.056 eleitores em 26 municípios sul-mato-grossenses

29/11/2021 às 07h00 Atualizada em 29/11/2021 às 09h01
Por: Redação Fonte: O Jacaré/Edivaldo Bitencourt
Compartilhe:
Marquinhos supera André. Riedel fica em último lugar na disputa do Governo, diz IPR

Marquinhos Trad (PSD) lidera a disputa pelo Governo de Mato Grosso do Sul com 27,29%, conforme pesquisa do IPR (Instituto de Pesquisa de Resultado) realizada entre os dias 16 e 22 deste mês.

O prefeito de Campo Grande supera o ex-governador André Puccinelli (MDB), com 20,87%. O secretário estadual de Infraestrutura, Eduardo Riedel (PSDB), fica em último lugar, com apenas 2,38%.

O levantamento foi realizado com 2.056 eleitores em 26 municípios sul-mato-grossenses e tem margem de erro de 2,2% para mais ou menos. A pesquisa é a primeira realizada após o presidente nacional do PSD, Gilberto Kassab, oficializar a candidatura de Marquinhos ao Governo do Estado. Também é a primeira que ele lidera.

O ex-governador Zeca do PT, que ensaia entrar na disputa pela 4ª vez, fica em 3º, com 12,69%. A deputada federal Rose Modesto (PSDB), que deve trocar o ninho tucano pelo Podemos ou pela União Brasil, fica com 10,46%.

Eduardo Riedel fica com a lanterna ao obter apenas 2,38%, apesar de ter o apoio do governador Reinaldo Azambuja (PSDB) e ter marcado presença ostensiva nos meios de comunicação, falando de praticamente todos os assuntos ligados ao Governo, desde ações de combate à pandemia, plano econômico, programa social e até negociando reajuste dos servidores públicos estaduais.

De acordo com a pesquisa, quase um quarto dos eleitores não querem nenhuma das opções por enquanto. Conforme o IPR, 12,69% responderam que não votam em nenhum dos cinco, enquanto 3,11% preferem votar em branco ou nulo e 10,51% não sabem ou não quiseram responder.

Zeca é o mais rejeitado, com 33,07%. O número mostra que o petista vai precisar realizar um bom trabalho de marketing para reduzir a rejeição. Apesar de ter ficado preso por cinco meses, condenado por ter coagido eleitores em 2012 e ser alvo de várias ações na Operação Lama Asfáltica, Puccinelli só é rejeitado por 16,10%.

Eduardo Riedel é rejeitado por 7%, enquanto Rose por 6,18%. Marquinhos Trad é o menos rejeitado, com 6,13%, conforme o IPR. Já 14,3% não rejeitam nenhum, enquanto 8,51% não votam em nenhum. 7,05% não respondeu ou não sabia.

Realizada a 11 meses do primeiro turno das eleições de 2022, o levantamento confirma a força de Marquinhos na disputa do Governo em 2022. Caso confirme a candidatura, ele deverá renunciar a dois anos e meio de mandato e passar o comando da Capital para a vice-prefeita, Adriane Lopes (Patri).

A sondagem mostra a resiliência de André Puccinelli. Apesar das denúncias de corrupção e das revelações feitas pela Polícia Federal, o emedebista segue com capital político invejável e com chance de chegar ao segundo turno.

O levantamento mostra que o PSDB terá dificuldade de emplacar o terceiro mandato no comando de Mato Grosso do Sul. Reinaldo tenta fazer história ao realizar a façanha que nenhum outro governador conseguiu, eleger o sucessor. Nem Pedro Pedrossian, nem Wilson Barbosa Martins, quando deixaram os mandatos com altos índices de aprovação, conseguiram fazer o sucessor.

Zeca do PT não conseguiu emplacar Delcídio do Amaral, na época no PT, em 2006, mesmo com o ex-senador fazendo sucesso em Brasília com a CPI dos Correios. André também não teve sorte ao tentar eleger Nelsinho Trad, na época no MDB, em 2014.

**** Matéria publicada pelo site O Jacaré

* O conteúdo de cada comentário é de responsabilidade de quem realizá-lo. Nos reservamos ao direito de reprovar ou eliminar comentários em desacordo com o propósito do site ou que contenham palavras ofensivas.
500 caracteres restantes.
Comentar
Mostrar mais comentários
Ele1 - Criar site de notícias