Segunda, 21 de Junho de 2021 05:28
0
Internacional Apertada!

Com 99,5% de urnas apuradas, Castillo tem 60 mil votos de vantagem no Peru

Órgão eleitoral não anunciou o vencedor, pois delegados ainda trabalham na análise de cédulas

11/06/2021 08h32
Por: Redação Fonte: Poder360
Pedro Castillo e Keiko Fujimori disputam eleições presidenciais no Peru
Pedro Castillo e Keiko Fujimori disputam eleições presidenciais no Peru

Com 99.561% das urnas apuradas no Peru até as 7h desta 6ª feira (11.jun.2021), o candidato de esquerda Pedro Castillo tem pouco mais de 60.000 votos de vantagem. Ele lidera a disputa com 50,172% dos votos válidos contra 49,828% de Keiko Fujimori, do partido de direita Força Popular.

O resultado final ainda não foi declarado pelo ONPE (sigla em espanhol para Escritório Nacional de Processos Eleitorais). Delegados eleitorais avaliam cédulas com problemas, como as que contêm rasuras ou falta de assinaturas, para determinar se elas podem ou não ser contabilizadas.

Além disso, Fujimori pediu a invalidação de cerca de 200 mil votos. Esse pedido está sendo analisado pelas autoridades eleitorais.

A candidata alegou que o processo eleitoral continha fraudes. Segundo ela, houve a impugnação de cédulas que demonstrariam sua vantagem. Keiko ainda declarou que 87 cartões de identificação foram adulterados por um funcionário do partido Peru Livre, de Castillo.

Observadores internacionais que acompanharam a eleição afirmaram que não houve irregularidades no pleito.

Castillo é líder do Peru Livre, professor e líder sindicalista. Ele foi a grande surpresa da eleição. As pesquisas não o colocavam como um dos dois mais votados. Chegou ao 2º turno com a promessa de políticas marxistas e leninistas.

Durante a campanha, Keiko Fujimori o acusou de querer destruir a democracia e instaurar um sistema comunista.

Castillo assinou 2 compromissos democráticos, nos quais promete proteger as instituições. No debate que antecedeu o 2º turno, afirmou por diversas vezes que respeitaria a propriedade privada e as empresas.

Keiko é filha do ex-ditador Alberto Fujimori.Candidata pela 3ª vez, carrega a bagagem do pai, que comandou o Peru de 1990 a 2000 e está preso por abusos de direitos humanos. Milhares de manifestantes peruanos foram às ruas no fim de maio contra sua candidatura. Segundo a AFP, familiares de vítimas de violações de direitos humanos durante a ditadura de Alberto Fujimori estavam na 1ª fila.

Outros identificam o fujimorismo à corrupção. Keiko chegou a ser detida em janeiro de 2020 sob acusação de ter recebido US$ 1,2 milhão de forma irregular da Odebrecht no Peru.

Nessa 5ª feira (10.jun) Keiko foi alvo de um pedido de prisão preventiva pela equipe da Lava Jato peruana. O promotor José Domingo Pérez, autor do pedido, argumentou que ela teria entrado em contato com testemunhas do processo.

Ele1 - Criar site de notícias