Sábado, 05 de Dezembro de 2020 13:25
67 99879-8533
Geral 'Tem talento'

Filho de Eliza Samudio é goleiro e aos 10 anos viaja de Campo Grande a SP para campeonato

Avó conta ao Midiamax que menino descobriu esporte com amigos e que, apesar do receio, ela respeitou decisão do garoto

19/11/2020 10h57
42
Por: Andressa Macedo Fonte: Midiamax
Bruninho usa camiseta número 77 em homenagem ao treinador. (Foto: Divulgação/Arquivo da Família)
Bruninho usa camiseta número 77 em homenagem ao treinador. (Foto: Divulgação/Arquivo da Família)

Filho de Eliza Samudio e do goleiro Bruno, Bruninho mostra que já tem talento para o futebol com apenas 10 anos. O menino está com a avó em um campeonato que acontece no interior de São Paulo. A avó de Bruninho, Sônia de Fátima Moura, conta que Bruninho é uma criança muito alegre e que começou a se interessar pelo esporte por influência dos amigos. 

Sônia explica que teve receio, mas que respeitou a decisão do neto. “Não era o que eu queria, mas eu tô olhando por ele, o sonho dele. A maioria dos meninos tem esse sonho”.

A avó explica que o objetivo não é que o menino se torne um jogador profissional. Ela explica que apesar do interesse de alguns olheiros, não há pressão e o menino está descobrindo o esporte por enquanto. “Ele só tem 10 anos. Ele vai levar isso para a vida? Por ser que leve, pode ser que não, mas ele faz isso com muito amor e carinho, para ele é um prazer. Ele é uma criança leve, alegre”, conta. 

Bruninho começou no esporte com o karatê, mas aos poucos foi se interessando pelo futebol e joga na posição de goleiro. Com apenas 10 anos, ele tem talento e já garantiu uma bolsa integral em escola particular. Em uma conversa com a psicóloga Renata Gouvêa, Bruninho contou sobre a conquista e afirma que valoriza muito os estudos. 

“Eu falei que um dia vou conseguir estudar em uma escola boa, uma coisa que eu consegui. Eu consegui uma bolsa de 100% na escola. A escola é muito boa”, disse o menino. 

Bruninho já jogou campeonatos pela escola e está em São Paulo para uma competição. A avó conta que ele iria jogar a Copa da Juventude, mas a pandemia acabou adiando as competições. “Por conta desse problema da Covid-19, não teve. Agora que estão surgindo as competições”.

Mais de 10 anos após o crime, o estigma do caso ainda recai sobre a família, mas a avó de Bruninho ressalta que ele é um menino muito feliz. “Eu gostaria que esse estigma saísse. Ele tem um lado divertido, é uma criança alegre, que conhece a palavra, o que tem que fazer, como respeitar o ser humano. É isso que eu tento passar para ele”.

‘Bruninho é filho da Eliza’

 

Ele1 - Criar site de notícias