Sexta, 29 de Maio de 2020 18:14
67 99888-2258
Geral Biossegurança

MPMS investiga se prefeitura fiscaliza regras de biossegurança para shoppings

Estabelecimentos foram vistoriados pelo órgão, que apontou pontos negativos.

06/05/2020 17h49
186
Por: Redação 2 Fonte: Correio do Estado
Foto: Paulo Francis
Foto: Paulo Francis

O Ministério Público do Estado de Mato Grosso do Sul (MPMS) abriu inquérito para apurar se a prefeitura de Campo Grande está fiscalizando o cumprimento  de regras de biossegurança para os quatro shoppings de Campo Grande a fim de minimizar o avanço da pandemia de Covid-19, doença causada pelo novo coronavírus. O procedimento foi instaurado pela 32ª Promotoria de Justiça de Saúde Pública.

Esse inquérito é baseado a vistorias técnicas realizadas nos estabelecimentos entre 22 e 23 de abril. Relatório técnico apontou diversos pontos negativos, principalmente aglomerações de clientes. Um deles, como consta em foto anexada ao documento, é uma aglomeração de pessoas sentadas em bancos nos corredores.

Nos quatro shoppings, foram apontados como pontos negativos que metade dos clientes circulavam sem máscaras, assim como diversos funcionários em algumas lojas; aglomerações em uma agência bancária e caixas eletrônicos e falta de disponibilidade de frascos de álcool em gel nos corredores e lojas.

Após essa vistoria, os estabelecimentos receberam prazo de 48 horas para sanarem os problemas. Assim como a prefeitura, os shoppings foram notificados para se manifestar no inquérito, o que ainda não ocorreu.

Durante agenda pública para vistoriar o andamento das obras de reforma do Ginásio Poliesportivo Avelino dos Reis, o Guanandizão, o prefeito Marcos Trad (PSD) demonstrou surpresa com a abertura do inquérito. "Estranho instaurar, porque todas as medidas solicitadas foram cumpridas. Nunca deixamos de atender nenhuma recomendação do Ministério Público. Os fiscais estão fazendo do seu trabalho dentro de sua capacidade, mas esse quadro de funcionários não é suficiente para atender toda a cidade. Tudo que a promotoria pediu nós fizemos", explicou.

Ele1 - Criar site de notícias