Quarta, 12 de Agosto de 2020 14:24
67 99879-8533
Polícia Citou os envolvidos

Investigador foi morto com 12 tiros em MS porque estaria tendo caso com a namorada do suspeito, diz polícia

O rapaz de 19 anos atraiu o policial para o local e foi quem atirou nele. Um adolescente de 17 anos foi apreendido por ajudar na fuga.

07/02/2020 09h44
107
Por: Redação 2 Fonte: G1 MS
Investigador morto na região de fronteira com o Paraguai — Foto: Redes sociais
Investigador morto na região de fronteira com o Paraguai — Foto: Redes sociais

A execução do investigador de Polícia Civil Arthur Kemishian, de 30 anos, ocorrida na noite de quinta-feira (6), em Sete Quedas, a 466 quilômetros de Campo Grande, estaria relacionada a um suposto caso extra-conjugal. Ele foi atingido por cerca de 12 tiros. Um rapaz de 19 anos foi preso e um adolescente de 17 apreendido.

De acordo com a Polícia Civil, o suspeito mais velho teria descoberto que o investigador estaria tendo um caso com a namorada dele, e então o atraiu para o local do crime. Antes que Arthur descesse do carro, ele atirou e fugiu com a ajuda do adolescente.

O policial foi socorrido para o hospital da cidade e morreu quando era transferido para uma unidade de Dourados. Antes de morrer, ele disse o nome dos dois suspeitos.

Policiais da região, de Campo Grande e do Paraguai foram acionados, e localizaram os dois suspeitos escondidos em uma fazenda de Sete Quedas.

O rapaz que atirou no investigador foi autuado pelo crime de homicídio qualificado pela traição, emboscada, mediante dissimulação ou outro recurso que dificultou ou tornou impossível a defesa da vítima.

A polícia ainda faz diligências para esclarecer a motivação do crime e apreender a arma do crime. Arthur Kemishian é policial civil desde 2015 e estava lotado na Delegacia de Polícia de Sete Quedas. Ele deixa uma mulher e dois filhos menores de idade.

Carro em que policial civil foi morto, em Sete Quedas (MS). — Foto: Redes Sociais

 

Ele1 - Criar site de notícias